Pular para o conteúdo principal

Tem que ser correspondido?


“Quando a gente ama, às vezes, é preciso saber dizer ‘até logo’”.

Para ser amor verdadeiro... Tem que ser correspondido? Às vezes eu sinto que eu amo aquele rapaz, mas ele ama outra mulher agora. Isso quer dizer que não é amor verdadeiro? Que não serve, não ‘vale’...? Às vezes eu sinto como se não fosse amar mais ninguém. Outras vezes eu penso que na verdade não foi ‘tudo isso’ (foi muito, mas não tudo) e penso quão bom seria amar novamente, sentir aquele frio na barriga no primeiro encontro, criar expectativas, ensaiar falas e chegar na hora, fazer tudo diferente.

Também penso no que ele poderia estar pensando em todas as vezes que me viu. Nas vezes que me ligou e, nas mensagens de fim de tarde, perguntando como foi meu dia. Não, eu não me vejo como substituta, ‘tapa buraco’, quebra galho, ou o que quer que seja que vocês prefiram dizer. Eu acredito, do fundo do meu coração, que em cada encontro, em cada ligação, cada mensagem... Ele estava lá. Ele tentou, do jeito dele, mas tentou. Eu via nos seus olhos o quanto ele se esforçava para gostar de mim da forma que eu gostava dele. Mas não deu... Eu era demais para ele, eu sobrei...

Quando eu fui para minha primeira entrevista de emprego, eu julguei que eu era a pessoa mais qualificada para trabalhar lá. Todos eram jovens, mas eu era a única de roupa social, celular desligado, evitei falar alto, participei até o último minuto da dinâmica... Tudo certo, eu ia ser contratada. Ia. Quando não recebi a ligação, fiquei chocada. Não conseguia ver onde eu tinha errado! Conversei com familiares meus (cá entre nós, mais experientes no assunto), que me aconselharam e disseram que na verdade, eu não fiz nada errado. Eu era mais do que eles estavam procurando.

Quem sabe, quando este rapaz entrou na minha vida, ele estivesse precisando de alguém que se vestisse de forma mais casual, não usasse sempre maquiagem, deixasse o celular ligado, alguém que não se importasse em fazer as coisas milimetricamente corretas. Já eu, não... Eu não diria que eu procurava alguém justamente como ele. Na verdade, eu nunca procurei alguém como ele. Suas características iam além dos olhos azuis (o que me causava grandes problemas com garotas). Mas sua idade traz também sua bagagem. Mas eu o aceitei, porque eu vi nele algo que eu jamais vi em ninguém.

Será que ele foi o primeiro? Será que isso acontece de novo, ou só uma vez? Como eu vou saber, né...? Faz tão pouco tempo. Mas ele sempre dizia que eu sou nova. E sou mesmo. E nessa idade a gente tem a mania de achar que nada vai passar. Que todas as nossas desilusões amorosas vão durar para sempre. Ah, que bobeira a minha... Eu já passei por isso tantas vezes. Nunca atingiu tão forte o coração. Mas aumenta a idade... Aumenta a responsabilidade. Né?

Ainda não tenho as respostas para as minhas perguntas. Mas eu tenho uma virtude: eu sempre fui muito paciente. Pode parecer que não, pois também sou ansiosa. Mas sei esperar. Eu irei esperar pelas respostas, porque eu sei que ao longo da vida, o tempo (e a idade) vai me responder todas essas questões. Talvez nem fosse amor. Talvez fosse mais que amor. Só a vida sabe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MORANDO SOZINHA #1: Minha experiência

Algumas pessoas já sabem que me mudei (novamente) para São Paulo. Mas muuuitas pessoas ainda tem curiosidade e perguntam muito o porque desta mudança e tudo mais. Então, criei este quadro aqui no blog para compartilhar com vocês toda minha experiência e dicas para quem pensa em fazer o mesmo!
Neste post eu contei um pouco sobre a decisão de vir morar em São Paulo, então quem quiser ler só clicar no link. O objetivo deste quadro é falar sobre morar sozinha mesmo, falar sobre a minha experiência nas casas que já passei etc.
Antes de fazer as malas...
Dica #1: pesquise MUITO antes de fechar negócio. Meu objetivo sempre foi procurar uma república, pois o custo diminui, muitas vezes já está mobiliado e a cozinha equipada (o que é mega importante) e você não fica completamente sozinha, terá alguém pra te ajudar com as rotas e tudo mais.
Gente, quando eu falo pesquisem muito, é pesquisem muito mesmo. Conversem com pessoas que conheçam São Paulo, tenha em mãos o endereço de onde você vai estudar/…

Metas para 2017

Este texto está longe de ser algo que você costuma encontrar no Facebook, com listinhas do que você deseja para 2017. Meu objetivo não é te dizer pra não fazê-las, muito pelo contrário. Eu acho ótimo e indico sim, mas vamos fazer com consciência. Fala sério, quantas listinhas de final de ano você já fez, e quando chegou no ano seguinte você viu que não cumpriu nadinha daquilo que você estabeleceu? Muitas vezes né?
Antes de fazer a tal lista, vamos fazer uma retrospectiva do ano que passou (e dos anteriores já que você não está fazendom isso direito né?). Pensa em tudo que aconteceu ao longo do seu ano, tudo tudinho. Realizações, frustrações, conquistas. Vamos separar mais ou menos assim: O que aconteceu que deu certo/eu gostei.O que aconteceu que deu errado/eu não gostei.
E diante desses fatos, ou caso você esteja com alguma dificuldade de amadurecer essa ideia (o que fazer para que continue assim, se for bom; o que fazer para mudar o que aconteceu, se foi ruim). 
Vamos pensar da seguin…

Improvável e inesquecível #0.1

Para ler ouvindo: Domingo de Manhã (Marcos e Belutti) e Logo Eu (Jorge e Mateus) covers por Gabi Luthai.
Escrevo essa mensagem em um Domingo de manhã, como na música. Meu dia favorito no mundo (com você). Nos conhecemos em um Domingo fora do comum. Você com seu senso de humor aflorado e eu apenas querendo sumir. Quando você chegou perto para fazer uma piada comigo eu tentei me esconder o máximo possível. Pois eu olhei para você e vi: "Nossa, lá vem aquele bobão que acha que é amigo de todo mundo, que conhece todo mundo e acha que pode ter essa intimidade com qualquer um, vou logo cortar." Mas quando você chegou perto, emanando sua alegria, não consegui não rir.
Foi um Domingo completamente atípico. Primeiro final de semana que eu trabalhei, estava na empresa há apenas 3 dias. Logo pensei, bom... Não vou ter que me preocupar, eu não irei mais vê-lo. Então não corro o risco de um dia sermos amigos e ele sair contando para todo mundo que eu quase atravessei o chão no dia que ele …