Pular para o conteúdo principal

As aparências realmente enganam



É engraçado como as aparências realmente enganam. Que atire a primeira pedra aquele que nunca se envolveu sem criar expectativas antes. Não tem jeito! Nós nos aproximamos das pessoas pelo que elas nos mostram. Aquela determinada característica que te faz pensar e acreditar que vocês tem algo em comum e podem dar certo.

Ou até mesmo quando você já conhece alguém, convive todos os dias com aquela pessoa mas vocês nunca conversaram. E quando surge a oportunidade, vocês descobrem que tem muito mais em comum do que poderiam imaginar, e que aquela pessoa na verdade é o contrário daquilo que você imaginava.

Parece que a nossa imagem foi feita exatamente para confundir. É como superar os próprios limites, restabelecer aquilo que você já tinha determinado como o seu "tipo". Mas no fundo, aquele que aparenta ser o que mais tem em comum com você, é o que tem menos! O que nos diz que temos que nos aproximar daqueles que aparentam não ter nada em comum conosco.

Se eu for pensar em mim mesma, posso afirmar com certeza que a minha imagem não representa claramente como eu sou ou o que eu gosto. Pelo menos não o tempo inteiro. Na verdade, da um pouco de trabalho as vezes ser sincera comigo mesma. Talvez eu não seja o meu tipo. Eu não correspondo às minhas próprias expectativas e deve ser por isso que até hoje não consegui estabelecer um relacionamento firme com alguém.

Parece que ao conhecer alguém interessante (e existem vários tipos de pessoas interessantes), você determina que aquela pessoa é seu "tipo", o seu "número" e adota aquilo para si como se fosse uma regra. Como se você tivesse que ser como ela para corresponder sua personalidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ela é minha menina. Eu sou o menino dela.

ELA É MINHA MENINA.
Doidinha, doidinha. Onde foi que você perdeu a cabeça? Um pouco atrapalhada, mas bem esperta. Por fora parece ser mulher, mas na verdade é uma menina. Sensível, chora por qualquer coisa (até mesmo de felicidade). É tem ciumenta e possessiva, quer as pessoas sempre juntinho, bem coladinho. E ai de você se olhar pra outra pessoa que não seja ela. Ela espera que você mande mensagem de manhã, de tarde, de noite, de madrugada... Ela quer ser lembrada. Quer sentir que é alguém especial. Ela espera que você a abrace de supresa, que roube beijinhos, que durma bem agarradinho. Tudo que você pedir ela vai dar um jeito de realizar (mas só se você estiver merecendo). Confia de olhos fechados, mas sempre abre um pouquinho um dos olhos, só pra ter certeza de que ela realmente fez a escolha certa. Se você combinar algo, pode ter certeza que ela vai estar lá.
EU SOU O MENINO DELA.
Eita. Ele é meio desligado, em? Hm, não é não, isso você que pensa. De bobo ele não tem nada. Está sem…

Carta para meu menino

ADVERTÊNCIA: Para ler apenas em caso de algo ter acontecido comigo. MENINA, sua.
Meu menino,
eu não sei como (ou por onde) começar.
Pronto! Comecei. Eu devo concordar com você em algo que me disse no passado: nós não combinamos. Eu não consigo entender esse seu costume de simplesmente ler e ignorar as mensagens que eu mando - e não porque você não teve tempo de responder, mas porque não QUIS. Eu já tentei de todas as formas, mas não dá. Preciso de alguém que de fato queira conversar comigo. Alguém que me mande uma mensagem depois que sair do trabalho e que me mande bom dia logo quando acorda. Alguém que compreenda que as vezes eu quero comer a sobremesa antes do prato principal. Que talvez eu queira ver o final do filme antes de ver o meio.
Devo admitir que adoro quando você me surpreende e me abraça por trás e afunda seu rosto em meu cabelo. E do jeitinho fofo de dormir beeem abraçadinho e não soltar por nada. Mas ainda não compensa os dias que você diz que adoraria estar comigo mas n…

Metas para 2017

Este texto está longe de ser algo que você costuma encontrar no Facebook, com listinhas do que você deseja para 2017. Meu objetivo não é te dizer pra não fazê-las, muito pelo contrário. Eu acho ótimo e indico sim, mas vamos fazer com consciência. Fala sério, quantas listinhas de final de ano você já fez, e quando chegou no ano seguinte você viu que não cumpriu nadinha daquilo que você estabeleceu? Muitas vezes né?
Antes de fazer a tal lista, vamos fazer uma retrospectiva do ano que passou (e dos anteriores já que você não está fazendom isso direito né?). Pensa em tudo que aconteceu ao longo do seu ano, tudo tudinho. Realizações, frustrações, conquistas. Vamos separar mais ou menos assim: O que aconteceu que deu certo/eu gostei.O que aconteceu que deu errado/eu não gostei.
E diante desses fatos, ou caso você esteja com alguma dificuldade de amadurecer essa ideia (o que fazer para que continue assim, se for bom; o que fazer para mudar o que aconteceu, se foi ruim). 
Vamos pensar da seguin…