Pular para o conteúdo principal

Bom moço dos ollhos-verdes-que-são-um-castanho-que-deu-errado



Para ler ouvindo Too Close, Alex Clare
Entre outras, como Flor, do Jorge e Mateus

Meu sobrenome é ansiedade. Sempre quis tudo para ontem e nunca tive tempo a perder. Até mesmo ao andar na rua eu não suporto/ava as pessoas que andam mais devagar que eu (detalhe: isso todos os meus amigos já tinham reparado). Uma pessoa, assim, um tanto diferente, resolveu aparecer no pior momento da minha vida. OK, eu só me mostrei quando eu realmente precisava de “ajuda”. Momento este em que a pressa era a maior, que a ansiedade estava o dobro do dobro, a carência então? Nem se fala... Essa aí não tem jeito.

Ele faz o tipo bom moço, aquele que senta na primeira fileira e paparica todas as tiazinhas que não tiveram o ‘prazer’ de se casar (e até das que casaram). E ele tem aquela droga daqueles olhos verdes. Porque diabos esses olhos verdes tinham que ser tão expressivos? Afinal, o que tem de mais nuns olhos verdes? Eles são apenas (e digo, a-p-e-n-a-s) o castanho que deu errado... Não é isso que os biólogos dizem? Então porque esse garoto metido a bom moço tinha que ter os ollhos-verdes-que-são-um-castanho-que-deu-errado mais expressivos que eu já vi? Bate de dez a zero em todos os olhos azuis que eu já conheci.

Por que será? Porque ele não correspondia minhas tentativas de manter uma conversa no facebook? Porque todos os Domingos que nos encontrávamos ele fingia que não me conhecia? Ou porque ele simplesmente foge dos padrões convencionais? Em todos os sentidos. Mas eu sempre desconfiei que ele, todo bom moço, todo certinho, adoraria uma garota prendada ao seu lado, principalmente se fizesse ótimos cupcakes. Lóóóógico, né... Eles nunca falham. Dá pra conquistar até a sogra, mas nesse caso é bom fazer uns diet’s para não perder a confiança.

Eu tinha na minha mente a imagem de um bom moço que encontrava sua garota-prendada-perfeita e dentro de uma semana ele a pediria em casamento e eles seriam felizes para sempre ou algo do tipo. Mas, assim, bem rapidinho né? Que nada... Amanhã faz uma semana desde nosso primeiro encontro oficial (nem sei se deveria considerar um primeiro encontro, ele pegou na minha mão e blah blah blah, foi um cavalheiro de primeira e eu sinceramente não esperava menos dele [apesar de não saber lidar bem com esse tipo de tratamento, acá ele percebeu], mas... bom, tinha muita gente lá e não rolou beijo não, desculpa decepcionar, amigas) e não parece nem um poquinho que vai me pedir em casamento. OK, seria esperar demais, mas vale sonhar né?

Como eu já disse, ele foge dos padrões convencionais e tem todo aquele jeitinho de menininho que precisa ser cuidado, que precisa ser ouvido, que no fim na noite também precisa de um ombro pra se encostar, e... Ah... Como eu queria experimentar nem que fosse um só diazinho ser tudo isso. Poxa, ele até me falou da cama nova que comprou, por que outra razão ele me contaria isso? Bom, eu acho que ele só não comentou da cafeteira porque não queria que eu pensasse que era pra eu ficar até o dia amanhecer... Mas tudo bem, quanto a isso eu já aprendi a lição.

Apesar de dizerem que as meninas amadurecem mais rápido que os meninos, será que ele precisa realmente de todo esse tempo para se adaptar a essa nova situação? Ou ele realmente não quer e eu não entendi os sinais? O que é perfeitamente normal de acontecer comigo. Mas, se fosse isso, porque as pessoas continuariam a fazer comentários? Porque a metade da nossa foto juntos transpareceria em seu rosto uma alegria “imensa”? Eu não consigo acompanhar esse ritmo, não consigo gostar-não gostar-gostar de novo, só pra ter o prazer de fazer uma “conquistazinha”... Eu esperei tanto tempo esse dia e ele não chegou. Não é fazer pressão, não é forçar a barra nem nada. Mas, eu estou esperando em vão? No fundo eu acho que também não sigo os padrões convencionais e certamente a melhor maneira de saber se esse dia vai chegar, é esperar... Quem espera um dia, espera dois, três... Alguma coisa nesse olhar me diz que vale a pena esperar. Que esse coração, apesar de enorme (que agora deve estar bem apertadinho dentro do peito, que nem o meu) precisa de um tempo pra se recuperar. E ah, tem uma coisa que eu não contei, o meu também precisa...

Só um último recadinho pra esse bom moço que foge dos padrões convencionais: Espera por mim que eu espero por você, OK? Mas me promete que no fim de tudo isso você vai segurar minha mão novamente? Em troca te prometo que nunca mais estarei mais alta que você. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O cheiro [explícito]

O cheiro que eu mais gosto em você não é o cheiro dos teus perfumes importados, mas o cheiro exótico do seu coro cabeludo que cola em meu rosto quando estamos dormindo e o cheiro que fique em minha pele depois de uma noite de amor. O cheiro forte da sua vagina úmida embaixo do cobertor, sedenta por amor, que espera pela minha língua.

Essa língua que traça as linhas da sua boca, percorre todo seu pescoço que insiste em ter cócegas, desce entre seus seios onde se perdem por um longo tempo procurando o prazer onde você diz não ter,  até seguirem por sua barriga transpassada pelas costelas e chegar abaixo do seu umbigo, onde te faço arquear a coluna e puxar meus cabelos quando minha boca encontra o tecido das suas roupas íntimas. Eu me demoro por um tempo e passo meu rosto em tuas partes íntimas como forma de te provocar, esperando tua reação de desejo. Eu quero que você peça por mim.

O cheiro invade minhas narinas novamente me fazendo arrancar toda sua roupa com os dentes  e minha língua s…

Pensando em você. 01

Dizem que você só encontra o que está procurando quando para de procurar. Acho que as pessoas dizem isso porque quando estamos procurando somos capazes de aceitar qualquer coisa como se fosse a certa. Mas eu não parei de procurar, eu estava procurando por você, mas não sabia que era você (até encontrar). Eu não precisei perder para saber disso, eu só precisei encontrar.
Confesso que quando eu te conheci eu ainda estava meio confusa. Estava conhecendo pessoas mas nenhuma delas parecia fazer sentido e quando começamos a conversar eu achei que você seria uma delas. Eu olhava para sua foto e me lembro de pensar "parece ser interessante" mas você insistia em demorar um dia inteiro para responder, então todo bom papo era colocado em xeque. Mas você respondia, e respondeu que estava perdida na mesma cidade que eu mas iria voltar em breve. Eu estava desde cedo na rua e ainda tinha que passar em casa pra pegar minhas malas. Pensei até na possibilidade de sentarmos lado a lado no pró…

E foi ficando...

As coisas dele ainda estão espalhadas por toda minha casa: no varal, no armário da cozinha, noguarda roupa... Eu não estou preocupada se ele vai voltar, nem quando (porque eu sei que ele irá voltar), mas como. Quando eu o encontrei ele não era um homem inteiro. Estava despedaçado. Tentando desesperadamente juntar seus pedaços, pedindo ajuda para cada mulher fácil que passava por sua vida. Aos poucos cada uma que lhe encontrava lhe ajudava a colar alguns pedacinhos desse grande coração. Mas ainda havia muito trabalho a se fazer. Eu nem sequer lembro quando começamos a nos chamar de amor, de bebê... Na faculdade, em meio a todos os estágios e informações novas que recebemos, eu guardei uma: “ele vai te bater, mas para saber se você vai continuar ali por ele depois disso”. E foi isso que ele fez comigo. Ele tentou me quebrar em pedaços igual a ele. Ainda não sei porquê. Mas eu continuei ali por ele. Tudo começou naquele encontro despretensioso para falar sobre assuntos chatos da faculdade (…